O Projeto

Roteiro do milho: mapeamento da gastronomia tradicional no Vale do Paranapanema

Este projeto tem como objetivo realizar uma cartografia da culinária do milho que constitua um roteiro gastronômico entre municípios do Sudoeste Paulista. Tem como base um levantamento das principais receitas tradicionais à base de milho, local de produção e comercialização.
Para isso estão sendo realizados levantamentos de receitas tradicionais que compõem as manifestações da cultura tradicional e do patrimônio imaterial de comunidades rurais desse território, pontos de vendas dessas receitas e as festas tradicionais de milho verde locais.
Esta plataforma digital, disponibiliza informações gastronômicas, mas ofertará o caminho para encontrar tais receitas no território. A plataforma online será um ponto de encontro virtual onde a comunidade local e turistas poderão conhecer e aprender como desfrutar desses sabores, conhecer as origens dos ingredientes e todo seu processo de produção, elaborados em meio a práticas culturais e festividades.
Esse roteiro poderá agregar valor às práticas de turismo que já são adotadas na região e, principalmente, promover a valorização desse patrimônio local com a participação ativa dos atores do lugar promovendo a economia criativa e o desenvolvimento sustentável da atividade turística.
O projeto irá abranger os municípios de Itapetininga, São Miguel Arcanjo, Capão Bonito, Guapiara, Ribeirão Grande, Ribeirão Branco e Apiaí. Além de possuírem laços culturais entrecruzados pela presença massiva de tribos indígenas pré-coloniais e rota de tropeiros, é hoje o caminho utilizado por muitos turistas que saem dos centros urbanos para chegar até o Parque Estadual Intervales, Parque Estadual Carlos Botelho e o Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira, atraídos pelas belezas naturais da região.
Essa rota também é muito frequentada por motociclistas, que fazem o percurso do “rastro da serpente”, e que muitas vezes fazem paradas para descanso e alimentação.
Em alguns desses municípios, pratos típicos regionais são reconhecidos como patrimônio imaterial local, como é o caso do Bolinho de Frango em Itapetininga, o encapotado em São Miguel Arcanjo e o Rojão, registrado como uma marca no INPI em Ribeirão Grande. Soma-se a eles o famoso pastel de milho de Apiaí, entre tantas outras receitas que ainda são hoje consumidas no cotidiano da vida desses moradores e ainda podem ser encontrados em muitos pontos de venda locais. Todos esses pratos possuem em comum o uso da farinha de milho ou o milho verde como ingrediente importante da receita.